sábado, 25 de março de 2017

Una cosa.*










Amor é uma daquelas coisas de que não conhecerás absolutamente nada, absolutamente nada, nem o minimamente superficial, se não o vivenciares. É em ti, mais do que tudo, que ele te fará sentido. É naquela pessoa a quem amares que ele se mostrará em toda a sua plenitude. É na transformação extraordinária de teu ser que poderás dizer alguma coisa mais profunda sobre o que ele realmente é!

20 comentários:

  1. Afinal o amor dá-nos vitalidade
    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. È vero! Vitalidade é estado de vida, estado dos vivos. Então, estás maravilhosamente correta. O amor nos faz vivos como nunca. E é nesta condição, a de vivos como nunca, que tanto é verdadeiro em nós expressar o quanto ele vivifica. È bello. Un abbraccio per te

      Excluir
  2. Concordo plenamente, só o vivendo nos podemos pronunciar.
    Bom fim de semana
    Um abraço
    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou, seria ao menos estranho uma pessoa visivelmente enlameada, em trajes rotos e com odor característico, a promover as vantagens do banho e da higiene... (Risos). Excelente semana a ti. Como é belo teu blogue. Un abbraccio
      Luc

      Excluir
  3. Bem verdade, há "coisas" que só percebemos quando vivemos!

    Bom fim de semana*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Deia, concordo contigo. "Coisa" vem do latim "causa", ou "razão de". Então, o amor é a "causa" que gera efeitos diversos em nós. Uma vez refletidos esses efeitos, falar do amor é apenas mais uma forma de expressar quem é a causa de sermos como somos. Amar é dizer que o amor é o que nos tornamos. Excelente semana. Un abbraccio per te, cara.

      Excluir
  4. Isso é profundo... Não conheço absolutamente nada sobre esse tema.
    Boa tarde Luc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, há duas coisas no que disseste. È vero que dizes não tê-lo vivenciado, e isso implicaria em não o teres sentido em ti ou por ti. Ma, d'altra parte, classificas como profundo, e isto será uma avaliação externa muito coincidente e profundamente verdadeira ou uma vivência não reconhecida. Como em teu bellíssimo blogue valorizas tudo que é correto, que é justo, que edifica, e combates o que é erro, o que é egoísmo e maldade, penso que a segunda opção é a resposta. Há uma coisa de que 'não conheces absolutamente nada' que conheces muito... (Sorriso) Un bacio per te, Emi. Boa semana!

      Excluir
    2. Há uma coisa de que 'não conheces absolutamente nada' que conheces muito...
      É vero, boa analise.Boa noite Luc.

      Excluir
    3. (Sorriso) Va bene! Quem não gosta quando acerta algo importante?! Gosto muito. Boa madrugada, Emi. Un abbraccio

      Excluir
  5. Concordo inteiramente contigo, amigo, pois uma coisa é viver o amor, outra é falar sobre o amor.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato! Falar não custa, viver custa. Falar não compromete, viver compromete. Falar não implica em mais que produzir som, viver implica em produzir vida. È vero. È vero. Grande abraço!

      Excluir
  6. Lembro-me que uma vez perguntei a minha mãe desde quando ela me amava, e ela me respondeu 'desde que você era só uma ideia pra mim'. Não compreendi muito na época pois era criança, mas achei lindo e guardei o que ouvi. Minha mãe se referiu aos filhos, não os tive ainda, e nem vivi um amor apaixonado, só conheço até então, o "amor ideia" do qual ela falou, mas entendo que mesmo que haja um amor antes de tudo, só iremos compreender sua intensidade, profundidade e imensidão quando ele de fato se completar.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bello. Bellissimo. Amar uma ideia, um sonho, uma esperança, já é prelúdio de amar. Mas, tens razão, foi perfeito o que inferiste: é quando - nesse caso - se apresenta o rostinho aos nossos olhos, é quando se toca a mão, é quando se compartilha espaços, pensamentos, palavras, sonhos, momentos... que o amor se acende em uma chama branda, não a chama explosiva da paixão, mas uma chama perene, acolhedora contra o frio da solidão, e aí, querida, ele veio para ficar! Tu podes dizer-lhe 'boa noite', quando ele chegar a ti. E então, tudo que descreveres a respeito disto e da vida, terá algumas cores que não existiam no Universo. Foi belíssimo o que escreveste. Baci

      Excluir
    2. Usaste a palavras "Cores", uma das minhas favoritas. Amar uma ideia é se pintar por dentro, com as cores que temos. Quando esse amor acontece, a tela que se pintava internamente, tinge o mundo a nossa volta com as cores que ganhamos.
      Conhece a música 'True Colors'? Ela se tornou a descrição do Degradê, e a minha favorita (na voz da Eva Cassidy). O amor nos leva a abrir os olhos para as verdadeiras cores.
      Abraços.

      Excluir
    3. Conheço a música, foi feita por Steinberg para a Cyndi Lauper. É pensamento meu que a melodia não é própria para o timbre de voz da Cyndi nem do Phil Collins. Então, vou ficar também com a interpretação da Evinha. Mas eu confesso que, no fundo, as versões carregam em guitarra ou violão e ainda espero umas versão em piano, como aliás Steinberg preferiu mas nunca foi atendido. È vero, cores interiores transbordam com o amor. Não deve ser por acaso que as três palavras rimem. O amor, deveras, colore o mundo. Un abbraccio

      Excluir
  7. Olá ML! Desculpe pela ausência, estive alguns dias fora. Adorei esta foto. Acho que não há nada mais lindo na vida que de estar apaixonado. Dá-nos uma força de súper-homem...Não é?  Beijo e muito obrigada pela partilha :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fazes falta! Acho a imagem belíssima, especialmente pela pureza. Penso como tu, o amor é a coisa mais linda da vida, não há dúvida. È vero, ele nos dá uma força sobrenatural, uma inspiração sempre nova, um cuidado sempre muito carinhoso, uma paz sempre muito transbordante. Quem dera, todos pudessem amar, e o mundo seria um paraíso! Gratíssimo por teu carinho. Baci

      Excluir
  8. Me aquietei no meu cantinho. Fechei os olhos, resperei mais profundo... me encontrei, me permiti, me enxerguei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cinco verbos muito belos. Todos eles dão grande significado ao verbo aquietar-se! Que tu saias renovada de tal experiência. E a qualquer momento, saibas que também há pessoas contigo, quietinhas, respeitando teu silêncio, mas prontas para ouvir-te e te falar. Un bacio

      Excluir

Teu comentário é peça chave no que me inspira a escrever.